O eSocial, projeto do governo federal que entrou definitivamente no dia a dia das empresas sediadas no Brasil, tem o objetivo de unificar o envio de informações sobre os funcionários de uma empresa, buscando a garantia dos direitos trabalhistas e previdenciários, além de oferecer agilidade à prestação de contas pelas empresas. Desde o seu lançamento, em 2015, está exigindo que as organizações se adequem, pois as mudanças são muitas.

Todas as empresas devem usar o novo sistema, desde o MEI até as de grande porte, sendo que existe um cronograma e etapas de implantação. Se você tem interesse no assunto e quer saber como fazer a adequada gestão do eSocial na sua empresa, continue lendo este artigo e confira as dicas dos tópicos a seguir.

  • Organize-se de acordo com as etapas
  • Esteja atento à folha de pagamento
  • Conheça todos os prazos e substituições
  • Capacite a sua equipe para o eSocial

Organize-se de acordo com as etapas

A primeira recomendação de como implementar o eSocial na sua empresa é criando um cronograma com as datas de cada etapa de implantação. Isso vai ajudar na adequação, pois são diversas alterações, inclusive, que o eSocial vai substituir grande parte das obrigações atuais.

Assim, as informações que eram enviadas para diferentes órgãos, como Caixa, Ministério do Trabalho e Emprego, Previdência Social e Receita Federal, passam a ser informadas na plataforma do eSocial.

Já as empresas que não implementarem adequadamente o novo sistema ou mesmo enviarem informações erradas podem ser multadas, conforme a gravidade do erro. Portanto, vale a pena cuidar de tudo para não cometer equívocos trabalhistas, fiscais ou previdenciários.

Esteja atento à folha de pagamento

Embora a entrega do contracheque ao trabalhador se mantenha, o mesmo não ocorre com a maneira que os dados da folha de pagamento passam a ser enviados para o eSocial. Além da folha de pagamento tornar-se definitivamente digital, os seus cálculos serão acompanhados online pelo eSocial.

Isso deixa o trabalho da empresa mais simples e, para os trabalhadores, significa mais segurança. Afinal, haverá um controle facilitado de dados como salário, hora extra, vale-transporte, refeição e alimentação e outros.

Mesmo que haja um processo de adaptação ao novo modelo para ser trilhado, no longo prazo, é garantia de menos burocracia e menos tempo da sua equipe gasto com antigas e burocráticas rotinas.

Conheça todos os prazos e substituições

Mais uma dica é entender que todos os eventos trabalhistas devem ser informados no novo sistema. Da mesma forma, é essencial estar atento aos prazos, caso contrário, pode ocorrer penalidades.

Quanto às substituições, elas devem chegar a algo em torno de 15 (GFIP, CAGED, RAIS, LRE, CAT, CD, CTPS, PPP, DIRF, DCTF, Quadro Horário de Trabalho, MANAD, Folha de pagamento, GRF e GRRF e GPS). E basicamente, as informações dessas obrigações devem ser migradas para o eSocial aos poucos. CAGED, RAIS e a CTPS Digital, por exemplo, já foram absorvidas graças à implementação do eSocial.

Capacite a sua equipe para o eSocial

Como você pode ver, são inúmeras as tarefas que envolvem a adequada implementação do eSocial na sua empresa e a sua equipe deve estar preparada para todas as mudanças envolvidas. Para auxiliar nessa transição, a Lumi oferece o serviço de capacitação para o eSocial.

Com isso, o seu empreendimento consegue se adequar às mudanças necessárias de forma eficaz. Para saber mais, clique aqui (link site).

Leave A Comment

All fields marked with an asterisk (*) are required